Home

Aqui, dançamos, mexemos e respiramos envolvidos pelo nosso pomar e jardim aromático. Uma das nossas espécies mais férteis é a árvore de Ginkgo Biloba. Fique a par da sua origem e benefícios!

 

O Ginkgo – Ginkgo biloba L. – , é uma árvore originária do Sul da China, de folhas verdes e brilhantes, em forma de leque, também cultivada como árvore ornamental e considerada sagrada no Extremo Oriente. O Ginkgo é a mais antiga de todas as árvores, chegando a ser considerada um fóssil vivo, pois data de há mais de 200 milhões de anos. É por muitos considerada como Fonte da Juventude devido à sua robustez e resistência e, o seu uso com fins medicinais mais antigo de que se tem conhecimento, data de 2800 a.C.

Curiosamente, em 1945, quando explodiu a bomba atómica em Hiroxima, o Ginkgo foi a única árvore em que brotaram novas folhas na Primavera seguinte. Aliás, esta espécie encontra-se espalhada por todo o mundo, resistindo à poluição das cidades, às pragas de insectos, aos vírus, podendo durar mais de mil anos.

Durante milhares de anos, os chineses utilizaram o seu fruto para prolongar a longevidade, combater problemas respiratórios e auditivos e, até mesmo, para melhorar as suas performances sexuais.

Actualmente, esta planta tornou-se muito popular no meio científico e tem sido objecto dos mais variados estudos. Fundamentalmente, o Ginkgo possui quatro importantes características, pelo facto de, entres os seus constituintes químicos, se encontrarem flavonoglicosidos e terpenóides: é um poderoso antioxidante, um tónico cerebral, um tónico cardiovascular e um inibidor da agregação das plaquetas.

Nos vários estudos levados a cabo por cientistas, o Ginkgo biloba tem sido testado no tratamento da senilidade e sinais e sintomas de ateroesclorose, já que, ao melhorar o aporte de oxigéneo ao cérebro facilita a oxigenação dos tecidos cerebrais. Aliás, os flavenóides que existem nesta árvore, actuam a nível da circulação sanguínea, nomeadamente no que respeita à micro-circulação. Devido a estas propriedades, pesquisadores alemães descobriram que, o tratamento com extractos de Ginkgo biloba, se revelava eficaz e melhorava significativamente a circulação sanguínea até às extremidades, o que tornava possível a pacientes com aterosclerose, andar mais e com menos dificuldade. Sabe-se ainda que o Ginkgo tem uma acção sobre o metabolismo celular com melhoria da captação de glicose e da síntese do ATP (trifosfato de adenosina). Outra das suas virtudes, reside no facto de combater os radicais livres, responsáveis pela destruição das células e aceleração do processo de envelhecimento, o que torna o Ginkgo uma planta de eleição a utilizar no melhoramento e prevenção da qualidade de vida dos mais idosos (demonstrou resultados positivos nos primeiros sintomas da doença de Alzheimer).

O Ginkgo tem sido também aplicado com algum sucesso no tratamento de cefaleias, enxaquecas, tonturas, vertigens e zunidos nos ouvidos, de que sofrem diariamente muitas pessoas. Pode ser também uma ajuda preciosa no melhoramento das capacidades de memória e de aprendizagem, ter efeito positivo em caso de doenças das artérias dos membros inferiores, bem como contribuir para recuperação das sequelas provocadas pelos acidentes vasculares cerebrais.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s